As Expedições ao Vila Lisa

 

 
AS EXPEDIÇÕES AO VILA LISA
 
No Verão, é sabido, a tipologia da gastronomia que é oferecida nas áreas onde se concentra mais turistas deixa muito a desejar. Grelhados e "comida internacional".
Bom, mas no Alentejo "a coisa fia mais fino". Além de que fazer férias num monte alentejano é para "militantes", a gastronomia a que se tem acesso permite provar sabores antigos, além de tudo o que o mar proporciona ( percebes, bruxas, os melhores sargos do mundo, as anchovas grelhadas  cada vez mais raras, e o melhor do mais singelo dos frutos do mar, as navalheiras carnudas a saber ..... para amar ).
Contudo, a sul,  existe um templo que obriga devoção : o Vila Lisa. Excusado será estar agora a incensar o que está mais do que benzido, além de confirmar que todos os encómios são mais que merecidos. E assim, de vez em quando, lá se organizava uma expedição à Mexilhoeira, dia de fora de portas prolongado e de preparação assizada, já que as expectativas eram de muita salivação. Sempre saciadas. Para reencontrar os sabores da serra e do mar do "promontório".
Destas visitas apresento-vos três singelas receitas, do próprio Vila, que são um  bom exemplo de que por vezes atrás da confecção mais simples dos mais simples dos produtos se encontram os sabores mais sublimes. E que todos nós podemos fazer em casa.
 
XERÉM DE BERBIGÃO
1 kg de berbigão
200 gr de farinha de milho grossa
2 litros de água
2 colheres de azeite
cebola
coentros
sal grosso
Num tacho, colocam-se o azeite e a cebola a alourar; adiciona-se a quantidade de água mencionada; espalha.se a farinha lentamente e vai-se mexendo ao mesmo tempo. Ferve durante quinze minutos. Passado esse tempo, junta-se o berbigão com os coentros picados. Quando o berbigão estiver aberto, rectifica-se de sal e serve-se.
 
RAIA ALHADA
400 gr de raia
5 dentes de alho com casca
3 colheres de azeite
1 colher de vinagre
4 batatas
salgrosso
A raia deve ser muito bem lavada em água corrente e deve ficar com sal durantre duas horas. Num racho com água a ferver, introduz-se a raia e deixa-se cozer cerca de cinco minutos, aproximadamente.
Deixa-se arrefecer, desfia-se às lascas e espalha-se numa travessa,colocando por cima batatas cozidas com a pele, despeladas e cortadas aos cubos pequenos. Num almofariz esmagar os alhos com a casca, juntar o azeite, o vinagre e três colheres da água onde cozeu a raia. Mistura-se tudo. com este preparado rega-se a raia e as batatas. Come-se frio
 
QUEIJO DE FIGO
1 kg de figo sêco
500 gr de miolo de amêndoa
25 gr de chocolate em pó
1 colher de sôpa de erva-dôce
5 gr de canela
300 grs de açúcar
1 chávena de água
1 cálice de medronho
raspa de limão
Moem-se os figos e as amêndoas grossamente. Num tacho colocam-se os seguintes ingredientes : chocolate, erva-dôce, canela, raspa de limão, medronho, açúcar e um pouco de água. Vai ao lume e mexe-se até ficar tudo ligado. Seguidamente mistura-se a amêndoa e o figo e mexe-se até ficar uma massa homogénea. Retira-se do lume e deixa-se arrefecer. Finalmente, retirando pequenos bocados, molda-se esta massa em forma de pequenos queijos.
( NB : estas queijos de figo já os servi em casa flambeados com aguardente de medronho e, para os  mais gulosos, com uma bola de gelado de noz).
 
 
 
publicado por Maurício Barra às 08:22 | comentar | favorito