Vatel

 

VATEL

 

Um duque endividado contrata o melhor cozinheiro da França para encantar o Rei Luís XIV e conseguir seus favores. Neste filme vemos, e quase cheiramos, o deslumbramento da cozinha espectáculo. Os melhores produtos, a mais adequada confecção, a cadência dos sabores numa refeição, na sequência das refeições, no mesmo dia, nos dias que se seguem, como parte conceptual de temas a representar, encenados, decorados, com actores e música, quase que atinge  o limite muito ténue que separa a prazer da gastronomia da decadência de Gomorra,  o climax do prazer irracional. Um grande filme de Rolland Joffé que ficiona uma personagem que existiu, que foi real em tempos reais.  

 

publicado por Maurício Barra às 07:37 | comentar | favorito