O Mexilhão

 

 

O MEXILHÃO

 

O mar bate nas rochas, todos os dias, aqui no Cabo da Roca. E bate tambem no mexilhão, que só se "lixa" quando é apanhado para ser comido.

Na Páscoa, nesta região, é um hábito muito antigo comer mexilhão na semana pascoal. Aliam-se, nesta devoção, o respeito pelo culto do jejum carnal judaico-cristão e uma milenar tradição gastronómica que vem dos primitivos povos que habitaram estes locais.

Apropriadamente, e porque toda a gente sabe cozinhar mexilhão ( aberto com limão, refogado em azeite com cebola e pimento, etc ), transmito-vos três receitas diferentes de mexilhão, duas para entradas, uma para prato principal.

 

MEXILHÃO COM ROUILLE

Abrir os mexilhões numa frigideira. Fechar o lume e guardar o líquido que verteram.

Esmagar miolo de pão saloio com azeite, alho, salsa e pimento vermelho, tudo muito picado, e temperar com pimenta preta até formar uma massa homogénea, juntando alguma àgua dos mexilhões.

Encher cada 1/2  casca do mexilhão com o preparado, colocar um mexilhão por cima e servir.

 

MEXILHÃO COM TEQUILLA

Abrir os mexilhões na frigideira.

Misturar, num mixer, tomate, cebola, coentros, tequilla e umas gotas de tabasco.

Colocar o preparado em cada 1/2 casca de mexilhão, pôr um mexilhão por cima e servir.

 

MEXILHÃO À BELGA

Esta receita é o prato de cervejaria mais popular na Bélgica, e é viciante quando de começa a comer. Essencialmente, a receita é a do Mexilhão à Marinheira. O que define o "à Belga" são os acompanhamentos.

Num frigideira, branquear cebola picada em manteiga. Temperar com duas pequenas bagas de piri-piri  e adicionar vinho branco sêco. Reduzir até deixar sair o alcool do vinho. Juntar os mexilhões em 1/2 casca e deixar cozer durante três minutos.

Tirar do lume, juntar natas e servir com batata fritas em palitos, acompanhado por uma boa cerveja.

 

PS : se não gosta de batatas fritas nem de cerveja, sirva com taglatielli fresco cozido "al dente" e um bom vinho branco sêco.

 

publicado por Maurício Barra às 18:14 | comentar | favorito