Estamos no Vinho

 

 

 

 

OS GUIAS DE VINHOS

Todos os anos em Portugal é editado a versão actualizada do "Vinhos de Portugal" do João Paulo Martins. Profundo conhecedor, é um enólogo  no qual podemos confiar : a sua apreciação é intectualmente honesta, é correcto na análise qualidade/preço e, se partilharmos os mesmos "sabores de bôca", ficamos bem servidos com as suas sugestões.

Mas, eu, como qualquer apreciador que não é enólogo, fico desinformado naquela classe de vinhos de maior produção, que em Portugal, com as linhas de apoio comunitário ao sector de vinhos da agricultura portuguesa, creceram exponencialmente em quantidade e . . . qualidade.

Claro que tenho os meus preferidos, para cada situação e ligação gastronómica, mas, devido à profusão de marcas, sinto sempre dúvidas de provar algo de novo que não me tenha sido recomendado anteriormente.

E as dúvidas nascem sobretudo da hipótese de estar a ser vítima de marketing. Existe muito vinho, com imagem de quinta, ficha de produto "fácil", ou seja, com frutos vermelhos e compotados para as gentes do sul, com frutos sêcos e minerais para as gentes do norte, que, depois de bebidos, chego à conclusão que, no máximo, terão a mesma qualidade de vinhos que compro por metade do preço.

Para estarmos informados destes truques e magias para "êpater les bourgeois", o livro que agora também é anual, o "Guia Popular de Vinhos" do Aníbal Coutinho, ajuda-nos a provar e comprar vinhos correctos e saborosos por preços razoáveis.

Recomendo os dois.

 

 

 

publicado por Maurício Barra às 08:08 | comentar | favorito